Home / Destaque / Com SME, Belo Horizonte pode ganhar hub de inovação para a engenharia

Com SME, Belo Horizonte pode ganhar hub de inovação para a engenharia

Belo Horizonte está prestes a ganhar um hub de inovação voltado para a engenharia. Os entendimentos neste sentido estão em fase final de acertos entre a Sociedade Mineira de Engenheiros (SME) e a Neo Ventures, empresa mineira especializada na montagem e operação de hubs de inovação. O hub da SME será instalado no quarto andar do prédio sede da instituição, na rua Timbiras, cuja reforma chegou ao seu final recentemente.  O anúncio dos entendimentos entre a SME e a Neo Ventures foi feito pelo diretor-técnico da empresa, Vinícius Bortolussi Roman, durante da Live SME da última semana.

A idéia, segundo Vinícius Bortolussi, é fazer na SME um hub amplo, com foco em vários setores, tendo em vista que a engenharia é uma área do conhecimento marcada pela diversidade. “A gente pensa em trazer empresas de energia, alimentos e bebidas, construção civil e mineração, entre outros setores nos quais a engenharia está muito presente. É um projeto que a gente está desenhando com muito carinho. Em breve vamos ter mais novidades para apresentar”, afirma Vinícius Bortolossi.

Para ele, devido ao caráter plural da SME como a casa de todas as engenharias, o projeto está sendo desenhado para que atenda a estas especificidades. “Em inovação, não existe control-c, control-v. Iremos aproveitar o que a SME tem de melhor”, afirma.

Legenda: Espaço de inovação da engenharia mineira deverá ser instalado no quarto andar do edifício sede da SME, na rua Timbiras, que passou por uma completa reforma e está pronto para uso Foto: SME/Divulgação

Tradição – Na SME, o projeto está sendo coordenado pelo engenheiro Krisdany Vinicius, que considera promissora a ideia do hub, em boa parte, pela tradição da SME de, historicamente, ser uma instituição de conexão entre as demandas e as soluções da engenharia, conectando profissionais, empresas e governo e, ao mesmo tempo, debatendo tecnologia e formulação de políticas públicas.

Nesse sentido, Krisdany entende que o hub da SME manterá essa tradição, ao conectar empresas com soluções de engenharia desenvolvidas por startups. Trata-se, de acordo com ele, de uma parceria das mais promissoras, pois a SME tem a tradição de estabelecer conexões e tem, ao mesmo tempo a estrutura física disponível. A Neo Ventures, por outro lado, tem a técnica moderna e a experiência comercial nessa nova forma de conexão. “Será uma cooperação positiva a todos, principalmente à sociedade e aos profissionais das áreas tecnológicas da engenharia, da arquitetura e da agronomia”.

Krisdany Vinicius afirma que hub manterá tradição da SME de ser canal de conexão dos diversos segmentos que compõem a engenharia em Minas Foto: SME/Divulgação

Icon Hub – O hub da SME não será a primeira experiência da Neo Ventures na área de engenharia. Em São Paulo, a empresa coordena o Icon Hub, que reúne seis empresas de engenharia ligadas ao Sindicato da Indústria de Construção Civil do Estado de São Paulo (Sinduscon-SP) mais a mineira MRV, para a qual o Icon Hub lançou um de seus primeiros desafios: desenvolver uma solução de criação de um condomínio com o uso apenas das ferramentas virtuais, desde a ata da reunião até o registro do condomínio em cartório. De acordo com Bortolussi, 146 startups apresentaram propostas.

A próxima etapa será a seleção das startups que serão contempladas com os recursos para o desenvolvimento das soluções apresentadas. Para a Plaenge, outra construtora do Icon, o desafio lançado é o de desenvolver uma solução que permita um conhecimento mais detalhado do perfil de seus clientes para, inclusive propor soluções customizadas  para cada segmento de possíveis compradores.

Com esses dois exemplos, o diretor-técnico da Neo Ventures chama a atenção para o fato de que um hub de engenharia, como o da SME não precisa, necessariamente, ter como foco as obras de engenharia em si. “É importante a gente ter consciência de que os desafios da engenharia vão além da engenharia bruta em si”, ressalta o diretor-técnico da Neo Ventures.

A empresa que dirige tem mais de 12 anos de experiência na área. Nesse tempo, já acelerou cerca de 550 startups, que prestaram serviços para 70 grandes médias e grandes empresas. Para movimentar essa engrenagem, a Neo captou mais de R$ 200 milhões no mercado. Entre os mais recentes projetos que entraram para sua carteira, além Icon Hub, está o Mining Hub, o hub da mineração, que reúne 50 empresas do setor, capitaneadas pelo Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram).

Vantagens – Para o diretor da Neo, o hub permite, por exemplo, que a startup tenha interação direta com os grandes players do setor, o que não seria possível em uma situação normal. Além disso, o hub tem uma capacidade maior de identificar tendências. “Sem o radar, a gente se torna míope e deixa de enxergar outras oportunidades”, explicou Vinícius.

Do ponto de vista estritamente administrativo e financeiro, o hub também pode, segundo o diretor da Neo Ventures, pode fazer com que para as startups, os prazos de pagamentos sejam menores do que os habituais. “Se a gente seguir os fluxos tradicionais das grandes empresas, os projetos não seriam desenvolvidos do jeito que a gente quer. Um startup não aguenta 60 dias sem fluxo de caixa”, exemplifica Vinícius Bortolussi.

Benefícios dos hubs

Convergência

Grandes empresas, centros de pesquisa, startups, demandas e soluções.

Networking

Interações de alto nível entre os associados, parceiros e o ecossistema.

Contexto global

Inserção em um ecossistema global de inovação.

Exposição de marca

Consolidar a marca em propósitos de transformação digital e liderança em inovação.

Custo benefício

Validação de múltiplas rotas para diferentes desafios com resultados compartilhados.

Soluções customizadas

Rotas de soluções moldadas e adaptadas para cada desafio.

Radar de tendências

Maior previsibilidade sobre riscos de entrada de novas tecnologias.

Valor

Busca pelo desenvolvimento de soluções que entreguem valor efetivo

 

Desafios dos hubs

Expectativa

Alinhar expectativas em relação a diferentes participante.

Comunicação

Garantir boa comunicação externa e interna ao Hub e seus associados.

Engajamento

Participar das atividades e ser proativo para colher bons frutos.

Urgência

Buscar resultados a curto prazo sem olhar para o longo prazo.

Adequações internas

Ajustar os processos da empresa para serem mais favoráveis à inovação

Recursos financeiros

Provisionar recursos para desenvolvimento dos projetos.

Envolvimento interno

Garantir o envolvimento de outras pessoas da empresa.

Governança

Estudar as regras de governança

SME/Assessoria de Comunicação

Sobre CPD

Veja Também

SME adia eleição; registro de chapas vai até 2 de outubro; voto será eletrônico

Tendo em vista o aumento dos casos de Covid-19 no Estado e a impossibilidade de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.