Home / Destaque / Conheça algumas boas ideias que se tornaram soluções lucrativas e ampliaram a confiança do público em importantes empresas mineiras

Conheça algumas boas ideias que se tornaram soluções lucrativas e ampliaram a confiança do público em importantes empresas mineiras

O que significa ser uma empresa sustentável? Por definição, a sustentabilidade empresarial é um conjunto de ações que uma empresa toma, visando o respeito ao meio ambiente e desenvolvimento sustentável da sociedade. Logo, para que uma empresa seja considerada sustentável ambientalmente e socialmente, ela deve adotar atitudes éticas e práticas que visem seu crescimento econômico e colaborem para o desenvolvimento da sociedade sem agredir o meio ambiente. Mas vale ressaltar que elas devem realmente apresentar resultados práticos e significativos, pois não adianta fazer uso racional de água e energia se não garante os direitos de seus funcionários ou prejudica de alguma forma a economia local.

Com este pensamento em foco, a Revista Mineira de Engenharia selecionou quatro bons exemplos de empresas mineiras que assumem seriamente o seu papel sustentável na sociedade e apresentam resultados efetivos em todos os aspectos e não apenas no marketing. Além de respeitar o meio ambiente, a sustentabilidade empresarial tem a capacidade de mudar de forma positiva a imagem da empresa junto a seus consumidores.

Bons investimentos com resultados efetivos

A Localiza é reconhecidamente uma das maiores empresas de locação de veículos na América Latina. Criou em 2017, um programa de sustentabilidade que se alinha às suas estratégias de negócios e seu plano de atividades. Nesse mesmo ano, a empresa se tornou uma das signatárias do Pacto Global das Nações Unidas e também construiu uma nova sede que unificou toda a gestão corporativa em um único lugar, no bairro Cachoeirinha, em Belo Horizonte. São quase incontáveis os projetos desenvolvidos pela empresa dentro de seu programa de sustentabilidade, mas o novo prédio merece destaque pois se tornou um símbolo de modernidade, eficiência e também ousadia.

O prédio da sede da Localiza possui 26 andares e 18 mil metros quadrados de área verde. É totalmente automatizado com tecnologia de ponta e promove a sinergia e integração completa dos funcionários com foco em ampliar a produtividade e qualidade de seu desempenho. Dispõe de três varandas recuadas com jardins e uma praça com quatro mil metros quadrados, 280 mudas de plantas frutíferas e um espelho d’água que chamam a atenção de quem olha para o edifício por fora. Ele também conta com dois auditórios para 140 pessoas e estrutura de serviços com restaurante, lanchonete, academia, banco, copiadora, bicicletário com vestiário, estacionamento e heliponto.

Em relação ao uso eficiente de energia, é equipado com elevadores inteligentes, sistema de automação predial, otimização do uso da luz natural, iluminação e ar condicionado inteligentes. E quanto às práticas voltadas para a eficiência no uso de água, a nova sede possui captação e uso de água da chuva; reaproveitamento de águas cinzas (água proveniente do uso em banheiros, lavatórios e pias); estação para tratamento de águas cinzas; válvulas de descarga com sistema duplo; torneiras acionadas por meio de sensores ou toque; irrigação inteligente e automatizada dos jardins; 10% da área em condições permeáveis (superior à exigência legal) e ainda pisos construídos com blocos intertravados, que permitem o retorno da água ao lençol freático.

Outros exemplos de atitudes sustentáveis realizadas pela empresa incluem o engajamento nos esforços nacionais e internacionais de redução das emissões de GEE (Gases de Efeito Estufa) e fomento do uso de biocombustíveis e iniciativas de mobilidade urbana. No primeiro caso, a empresa abastece toda sua frota com etanol e também investe na conscientização de seus clientes para que eles abasteçam os carros com etanol no período de aluguel. As práticas de eficiência energética também estão presentes nas divisões de negócio e foram desenvolvidas diferentes soluções que permitem o monitoramento das frotas e, consequentemente, a identificação de medidas efetivas de aumento da eficiência energética dos automóveis.

Sobre a questão da mobilidade urbana, desde 2017, foi implementado o Programa de Carona. É uma iniciativa que conecta colegas de trabalho que compartilham do mesmo trajeto diário casa-trabalho-casa. Segundo dados da empresa, em torno de 30% dos colaboradores da sede já se engajaram no programa, o que representa um total de 531 funcionários, 2.830 caronas geradas e mais de 40.500 quilômetros percorridos com caronas. Este resultado contribuiu para a retirada de 903 carros da rua e evitou a emissão de cerca de 10,3 toneladas de CO2 na atmosfera.

Diversidade e economia

A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) é uma das pioneiras no país nas questões de eficiência energética e mais que uma referência quando o assunto é sustentabilidade. Entre exemplos que podem ser citados vale ressaltar os cinco anos da usina solar do Mineirão e a usina fotovoltaica com sistema de armazenamento de 1 MW, além do Programa Energia Inteligente.

A usina solar fotovoltaica do Mineirão completou cinco anos em maio de 2018 e foi construída pela Cemig, em parceria com a Minas Arena e com recursos do banco alemão KfW. A instalação é uma das maiores do mundo na cobertura de um estádio e tem capacidade de produção suficiente para atender o consumo médio de 1.200 residências. A usina permitiu ao Mineirão se tornar a primeira arena esportiva do Brasil dotada de painéis solares em sua cobertura e obter a certificação LEED Platinum de sustentabilidade. A cobertura do Mineirão possui em torno de 9.500 metros quadrados e recebeu seis mil módulos fotovoltaicos, garantindo uma potência instalada de 1.420 KWp (quilowatt-pico). Toda a energia gerada é enviada para a rede de distribuição da Cemig. Sua performance atual supera em 8% a previsão inicial do projeto.

Os módulos solares fotovoltaicos na cobertura do estádio captam a radiação solar e convertem em energia elétrica, em corrente contínua com tensão de 380 volts. Oitenta e oito inversores instalados em oito salas técnicas abaixo das arquibancadas transformam a corrente contínua em corrente alternada. A energia é enviada a duas subestações, uma no lado sul e outro no lado norte do Mineirão. Nas subestações, a tensão é elevada para média tensão. Uma pequena parte de energia gerada é usada na manutenção da própria usina e todo o restante é injetado na rede da Cemig, por meio da subestação de conexão que fica dentro do estádio.

Outra importante iniciativa foi a inauguração este ano da primeira usina fotovoltaica do país com capacidade de armazenamento de 1 MW (megawatt). Até então, nenhuma usina deste tipo em operação possuía essa capacidade. O valor total do investimento foi de R$ 22,7 milhões – R$ 17,5 milhões aplicados pela Cemig e R$ 5,2 milhões pela Alsol Energia Renováveis, do Grupo Algar, empresa parceira no projeto. Cemig e Alsol combinam armazenamento de energia e geração distribuída com a instalação de uma planta fotovoltaica de 300 KWp e um sistema de armazenamento de 1 MW. A usina é composta por 1.152 placas solares, com potencial de geração de aproximadamente 480 mil kWh/ano, energia suficiente para atender pelo menos 250 residências, com consumo médio de 150 kWh/mês, por um ano.

Antes desse projeto, todas as usinas desta modalidade em funcionamento no Brasil forneciam energia para a rede apenas durante o dia, suspendendo o fornecimento no momento em que o sistema é mais demandado. Com a nova usina, essa lógica foi invertida, já que ela mescla o envio da energia para rede e o armazenamento ao longo do dia com a presença do sol. A partir das 18h, a tecnologia permite que seja injetado na rede seu potencial de 1MW por até três horas.

Segundo informações da empresa, uma das finalidades da usina é o desenvolvimento de um novo modelo de negócio, a partir de plantas híbridas que combinam geração fotovoltaica e sistemas de armazenamentos em unidades consumidoras, o que garante a qualidade da distribuição de energia, especialmente em horários de maior demanda. Há também a expectativa de redução de perdas em alimentadores e transformadores durante o horário de pico, o que influencia a qualidade do serviço.

E desde 2015, a Cemig investiu mais de R$ 170 milhões no Programa Energia Inteligente, em projetos que disseminam a cultura do uso consciente e sustentável de energia elétrica. Além das instituições de ensino, clientes e comunidades de baixa renda, entidades sem fins lucrativos, hospitais e iniciativas privadas são beneficiadas com suas ações. Ele é regulado pela Aneel e se baseia no incentivo à mudança de hábitos, resultando na redução e eliminação do desperdício como forma de bom uso e preservação dos recursos naturais.

Fazenda de energia solar

A Drogaria Araújo fechou este ano um contrato de parceria com a AES Tietê para a locação de uma fazenda solar remota de potência instalada de 5,3 MWp, em um contrato de 10 anos, com objetivo de abastecer em torno de 150 lojas de rua de sua rede de farmácias. A fazenda possui 16 mil módulos fotovoltaicos instalados, o que equivale – em termos de área – a 4,48 estádios do Mineirão. Ela foi instalada ao lado da hidrelétrica de Água Vermelha da AES Tietê, na divisa entre Minas Gerais e São Paulo.

Com isso, ao gerar sua própria energia, a empresa deixará de emitir cerca de mil toneladas de CO2 por ano, sendo que seu consumo médio mensal é de 930 MWh, o que equivale ao de seis mil casas. Esta solução, que começou a funcionar no final de 2018, vai garantir um consumo mais eficiente, redução de custos e contribuição com a produção de energia limpa. Este projeto possibilita a geração própria de energia para as lojas e traz como resultado uma solução de consumo responsável aliada à redução de custos.

Compra de energia limpa

Em 2018, a Unimed BH inclui 10 de suas unidades no sistema de energia limpa do Mercado Livre de Energia e totaliza com isso, 90% de seu consumo de energia da cooperativa proveniente de fontes renováveis. A cooperativa é signatária da Rede Brasil do Pacto Global desde 2012 e, por isso, tem o compromisso de alinhar suas estratégias aos princípios de direitos humanos, trabalho decente, meio ambiente e combate à corrupção. A empresa também possui outras ações sustentáveis como coleta seletiva, instalação de poços artesianos, utilização de painéis solares e também telhados verdes, além da compra de energia limpa.

Entre as unidades da Unimed-BH que adotam esse modelo de fornecimento de energia renovável estão os três edifícios administrativos (Inconfidentes, Rio Doce e Francisco Sales), os Centros de Promoção da Saúde – Unidades Santa Efigênia, Contagem e Pedro I, o Hospital Unidade – Unidade Contorno e a Maternidade Unimed – Unidade Grajaú. A expansão do programa de contratação de energia limpa, assim como todas as ações relacionadas ao meio ambiente, faz parte de uma estratégia maior da operadora que

visa contribuir com a sociedade e estabelecer um exemplo a ser seguido por outras empresas, assim como gerar economia real. Segundo dados da Unimed BH, o consumo de energia em 2017 foi 1,16% menos que em 2016 e isso gerou uma economia de mais de R$ 1,8 milhão e a redução de 1,2 milhão de páginas impressas gerou uma economia superior a R$ 100 mil.

Esta é apenas uma pequena parte do que essas e muitas outras empresas realizam diariamente em prol do desenvolvimento social e sustentável. Essas práticas precisam ser estimuladas em uma sociedade que visa seu real desenvolvimento e incremento da qualidade de vida e devem ser cobradas e fiscalizadas pelos consumidores.

Sobre Marina Duarte

Veja Também

Noite de Autógrafos com Coquetel

SÔNIA JORDÃO LANÇA LIVRO “EI, CURTA A JORNADA” DIA 21 A Engenheira e consultora organizacionall, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.