Home / Destaque / SME retoma participação no Copam

SME retoma participação no Copam

A Sociedade Mineira de Engenheiros (SME) volta a participar da definição das diretrizes da política ambiental em Minas, com a retomada de sua presença no Conselho Estadual de Política Ambiental (Copam). A SME passou a ter representantes em três câmaras técnicas: Câmara de Atividades Minerárias (CMI), Câmara de Atividades Agropastoris (CAP) e Câmara de Políticas de Energia e Mudanças Climáticas CEM). A intenção da SME, ao voltar a participar do Copam, é levar para estes fóruns a contribuição da engenharia na definição de políticas sustentáveis para o Estado.

De acordo com a SME, sua ação seguirá os princípios da responsabilidade técnica e social consolidados nos documentos “Objetivos do Desenvolvimento Sustentável” e nos “Princípios do Equador”, que norteiam as decisões mais estratégicas de agentes nacionais e internacionais de fomento, bancos e fundos especiais de investimentos. De acordo com a SME, o objetivo final, tal como descrito nos “Princípios do Equador”, é assegurar o devido equilíbrio de um novo projeto ou empreendimento, com a conservação da natureza, a qualidade de vida do ser humano  e de suas futuras gerações, consolidando, desta forma, como ressalta a entidade, a fundamentação do conceito de “desenvolvimento sustentável”.

Em nota, a entidade afirma esperar que estes princípios possam contribuir para que Minas retome seu crescimento, num momento tão complicado de sua economia, e que as Deliberações Normativas (DNs) do Copam e da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (Semad) sejam também consideradas referências importantes para o desenvolvimento sustentável. “Agindo dessa forma, certamente a SME levantará a bandeira da prática essencial da sustentabilidade, demonstrando nesses fóruns um posicionamento responsável e defensor dos mais tradicionais princípios da engenharia que é de construir’ e oferecer as melhores condições e qualidade de vida para a sociedade.

Carlos Orsini, Roberto Messias Franco e Ronaldo Malard são os novos representantes da SME no Copam Fotos: Cláudia Barçante/ALMG e SME/Divulgação

A representação da SME se fará por meio de três profissionais com ampla experiência na área ambiental. Na Câmara de Atividades Minerárias, a SME estará representada pelo engenheiro de minas e metalurgia Carlos Eduardo Orsini, que tem mais de 50 anos de experiência em engenharia de minas, metalurgia, saneamento e meio ambiente. Orsini já atuou em empresas como a MBR, Aços Anhanguera, Açominas e Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa). Carlos Orsinni foi também consultor do Banco Mundial, da Organização Panamericana de Saúde e da Organização Mundial da Saúde. Foi também um dos participantes do grupo que formulou os estudos iniciais dos “Princípios do Equador”, ainda hoje, um dos mais importantes modelos a serem seguidos na formulação de políticas ambientais no mundo.

Na Câmara de Atividades Empresariais, o representante da SME será o engenheiro civil e sanitarista Ronaldo Malard, que tem 35 anos de experiência em engenharia sanitária e ambiental e presença em diversos cargos em instituições públicas que atuam na área: foi diretor de Planejamento e Monitoramento da Fundação de Parques Municipais de Belo Horizonte, assessor de Planejamento e Coordenação e diretor de Controle da Fundação Estadual de Meio Ambiente (Feam), além de secretário-executivo do Copam. Malard é fundador e também ex-presidente da ONG ambientalistas Ponto Terra.

Na Câmara de Políticas Públicas de Energia e Mudanças Climáticas, o titular da SME será o geógrafo Roberto Messias Franco. Roberto Messias foi presidente da Feam e secretário-executivo do Copam; presidente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e superintendente do órgão em Minas. Roberto Messias foi também diretor-adjunto do Escritório Regional para a América Latina e Caribe do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma).

SME/Assessoria de Comunicação

Sobre CPD

Veja Também

Artigo: Transformação digital deve ser em benefício do cidadão

Rodrigo Paiva Quando se discute transformação digital na área pública, é preciso ter em mente …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.